Ponte é bloqueada e fumaça causa engavetamento com oito caminhões

Redação Por: Redação

Cidades Diversas

2192 Visualizações

Publicado em 08/09/2017 16:41h

Foto: Reprodução

Há dois dias se espalham por redes sociais relatos de bloqueios e ataques, supostamente provenientes de pessoas ligadas a movimentos sem-terra, ocorrendo à altura da localidade conhecida como “Gogó da Onça”, na Rodovia BR-155, entre os municípios de Eldorado do Carajás e Xinguara.

Hoje, sexta-feira (8), um vídeo postado no Facebook aponta que o grupo que está na região acabou causando um engavetamento entre oito caminhões. As imagens foram gravadas no feriado desta quinta-feira, dia 7. Segundo o motorista que narra a situação, os sem-terra “colocaram fogo nos pastos, fecharam a rodovia e agora estamos com oito caminhões engavetados”.

Internautas relatam que a fumaça tomou a estrada, tirando a visibilidade dos motoristas. Aliado a isso, eram ouvidos disparos de arma de fogo, fazendo com que os condutores acelerassem os veículos e acabassem se envolvendo no acidente.

O responsável pela filmagem afirma, ainda, que houve vítimas bastante machucadas que não conseguiram atendimento por estarem presas na estrada. “(...) pessoas com fraturas, gente que se machucou, teve perda total. Estão tentando levar esse pessoal, mas não conseguem passar na ponte que continua interditada".

Ele ainda reclama por não haver nenhuma autoridade no local. “Apenas nós, e eles não deixam a gente passar”. Na quinta-feira, a Frente Nacional de Luta (FNL) iniciou uma série de mobilizações fechando estradas, rodovias e ferrovia para reivindicar várias questões ligadas às regiões sul e sudeste do Pará, mas não há confirmação de que as pessoas agindo na Rodovia BR-155 tenham ligação com o movimento.  

Na manhã de hoje, sexta-feira (8), o Correio de Carajás solicitou posicionamento acerca do caso para a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), mas até o momento não foi enviada nota. (Luciana Marschall)

Comentários

Deixa seu comentário abaixo sobre esta notícia: