Ninguém quer presidir o Águia de Marabá

Ferreirinha abandona a barca e ninguém se habilita para presidir o Azulão, que corre risco de abandonar o Campeonato Paraense 2018

Redação Por: Redação

Esportes Águia

1725 Visualizações

Publicado em 05/10/2017 16:38h

Ninguém quer presidir o Águia de Marabá

Ferreirinha foi reeleito ano passado presidente do Águia tendo Pedro Corrêa como vice

Sebastião Ferreira Neto, o Ferreirinha, deixou a presidência do Águia de Marabá na manhã desta quinta-feira (5). A decisão será formalizada em reunião da diretoria do clube. A situação pode levar a um desfecho radical: a extinção do clube.

Após 18 anos no cargo, Ferreirinha tomou essa decisão, porém o que ainda é uma incógnita é a possível extinção do clube. Algumas informações extraoficiais dão conta de que o Águia irá desistir das competições esportivas e chegará ao fim.

Ferreirinha informou ao DOL que tudo será esclarecido após a reunião de hoje com a diretoria.

Com 30 anos de criação, o Águia viveu grandes momentos no futebol brasileiro, regional e paraense. Em 1999, o Azulão terminou o Parazão entre os quatro melhores colocados.

Em 2008, o Águia conseguiu o acesso ao Campeonato Brasileirão da Série C e somou oito participações consecutivas. Neste mesmo ano, o time marabaense bateu na trave e terminou a competição em quinto lugar geral.

Após um 2013 de péssima atuação no Parazão, o Azulão foi rebaixado para a Segundinha.

Na Série C, o time foi decaindo. Em 2014, sua atuação também não foi boa e quase foi rebaixado; porém no ano seguinte, o Águia não escapou e caiu. Após derrota para o Fortaleza por 4x1, o time foi para na Série D. No ano passado, o Águia terminou na 24ª colocação no geral de 68 clubes que disputam o campeonato.

Este ano, o time disputou o Parazão e tem vaga garantida para a elite, que começa a ser disputada em janeiro de 2018. Terá pouco tempo para renascer das cinzas, se alguém tiver a coragem de encarar as dívidas, que em 2016 chegava à cifra de R$ 500 mil e Ferreirinha havia ameaçado não concorrer à reeleição, mas acabou sendo convencido por empresários e políticos a permanecer no cargo.

A Reportagem do Portal tentou falar com o presidente Ferreirinha, com o vice Pedro Corrêa, mas os celulares deles estavam fora de área no início desta tarde. O técnico João Galvão não atendeu às ligações, embora seu telefone tenha chamado até cair na caixa postal.

Há informações extraoficiais de que patrocinadores tradicionais preferiram não renovar contrato e a Prefeitura Municipal, uma das principais apoiadoras do clube, não injetaria verba no time comandado por Ferreirinha. (Da Redação do Correio de Carajás com informações do DOL)

Comentários

Deixa seu comentário abaixo sobre esta notícia: