Amnésia coletiva faz toda família esquecer nome de acusado de roubo

Nem a mãe, esposa e o próprio acusado de roubo conseguiram lembrar nome de rapaz que roubou moto Pop na Velha Marabá

Redação Por: Redação

Polícia Destaques

1425 Visualizações

Publicado em 17/07/2017 19:06h

Amnésia coletiva faz toda família esquecer nome de acusado de roubo

Vandarle Rodrigues de Oliveira, de 18 anos, figurinha carimbada na polícia, perdeu a memória e esqueceu o próprio nome

Policiais militares do Grupo Tático Operacional (GTO) conseguiram prender na manhã de hoje, segunda-feira (17), três acusados de furtar uma motocicleta POP na Marabá Pioneira. Fato curioso nesse caso é que, ao ser abordado pela polícia, um dos acusados disse que não recordava o próprio nome. Os PMs perguntaram para a companheira dele, e esta também disse não saber o nome do acusado. Por fim, os policiais questionaram à mãe do indivíduo e – acredite – ela também disse que não se recordava do nome do próprio filho.

Mas, na delegacia, horas mais tarde o mistério acabou. O acusado se chama Vandarle Rodrigues de Oliveira, de 18 anos, figurinha carimbada da polícia. Junto com ele foi preso também Rafael Vinícius da Silva Cavalcante, também de 18 anos; e foi apreendido ainda um adolescente infrator, de 17 anos. Em poder do trio foi encontrada a moto furtada.

O roubo aconteceu logo nas primeiras horas da manhã de ontem (17), por volta das 6h, quando o dono do veículo, Marcelo Soares Gomes, de 38 anos, deixou o veículo devidamente trancado na praça da Igreja de São Félix de Valois, na Orla da Marabá Pioneira, e foi fazer caminhada. Quando ele voltou (menos de uma hora depois), o veículo já tinha sido roubado.

Marcelo comunicou imediatamente o furto aos guardas municipais que estavam na orla, e estes acionaram a polícia que passou a fazer buscas em áreas onde é comum esconder produtos roubados, enquanto a vítima foi até a 21ª Seccional Urbana de Polícia Civil e registrou o furto.

De acordo com o cabo Deibith, do GTO, ao passar pela esquina das ruas Pará e São Pedro, no Bairro Santa Rosa, ali mesmo na Pioneira, um jovem correu ao ver os policiais, dando a entender que estava cometendo algum crime.

O acusado entrou numa casa, onde os policiais, ao entrarem, já se depararam com mais dois elementos. Ali eles encontraram também a placa de uma moto. Ao verificar a numeração da placa no sistema online de roubos e furtos de veículos, ficou constatado que se tratava da moto de Marcelo.

Diante disso, o acusado confessou que ele e os outros dois comparsas furtaram realmente a moto na Praça São Félix e o veículo estava escondido num matagal ali perto. Mas a parte mais estranha disso tudo foi quando os policiais perguntaram os nomes dos três acusados. Foi a hora que ocorreu um caso de suposta amnésia.

“Um deles, perguntado o nome dele, disse que não sabe; a mãe também não sabe o nome dele; e perguntado para a esposa, ela disse que também não sabe. E por quê? Porque ele já foi preso anteriormente fazendo assalto em van e micro-ônibus”, relata o policial.

Logo em seguida, os militares foram até o matagal onde a moto estava escondida, recuperaram o veículo e levaram todo mundo pra delegacia. Ao chegarem à DP, Marcelo ainda estava lá. Ele tinha acabado de fazer a ocorrência do furto e reconheceu a moto na hora que esta chegou em cima da viatura.

Além do cabo Deibith, os cabos Sidney e Bahia e o soldado Frazão também integravam a guarnição que, em tempo recorde, efetuou a prisão dos dois maiores e a apreensão do adolescente em conflito com a lei. (Chagas Filho)

 

 

Comentários

Deixa seu comentário abaixo sobre esta notícia: