Fotos: Chagas Filho

Aproximadamente 4.500 armas de fogo e cerca de três mil armas brancas, além de acessórios, foram destruídos nesta manhã, quinta-feira (8), nos fornos da Siderúrgica Norte Brasil (Sinobras), em Marabá, em operação do Comando Militar do Norte e a 8ª Região Militar.

FUTURO MELHOR POSTAGEM
TH SISTEMAS
FUTURO MELHOR REDACAO
ALICERCE
FUTURO POSTAGEM KIDS

As armas são provenientes de apreensões realizadas pela Polícia Civil e objetos de processos judiciais já finalizados pelos Tribunais de Justiça, além de descarregamentos e inutilização das Forças Armadas e entregas voluntariamente à Polícia Federal, de acordo com as determinações do Estatuto do Desarmamento.

Conforme o comandante da 23ª Brigada de Infantaria de Selva, General de Brigada Eugênio Pacelli Vieira Mota, os armamentos são previamente inutilizados. “Já passaram por pré-destruição quando nós as recebemos, mas para que realmente haja destruição total trazemos para a siderúrgica onde é transformada em produto para a siderurgia”, comentou.

A operação, batizada de “Vulcão”, contou com apoio do Conselho Nacional de Justiça e dos Tribunais de Justiça dos Estados do Pará e Amapá, além da siderúrgica, da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Polícia Militar do Estado do Pará. Os armamentos são provenientes de diversos municípios, sendo a maioria de Marabá e Belém.

As armas estavam guardadas na capital paraense, de onde saíram na terça-feira (6), sob escolta, do Exército, PRF e PM. O principal objetivo da ação é evitar que os objetos retornem à criminalidade, contribuindo, assim, com a redução dos índices de violência. Mais informações na edição de sábado, dia 10, do Jornal Correio. (Luciana Marschall – com informações de Chagas Filho)

TH SITES HORIZONTAL
RADIO CORREIO HORIZONTAL
ROMANCE FAVORITA
DEPNEUS